Como Chegar | via Estrada da Graciosa

Saindo de Curitiba em direção a São Paulo pela BR-116, a 37 km da capital, após o trevo de Campina Grande do Sul, você deverá dobrar a direita e pegar a PR-410, a centenária Estrada da Graciosa. Todo o trajeto é de belas paisagens, recontos, mirantes, churrasqueiras e quiosques com venda de produtos da região.

 

A pitoresca Estrada da Graciosa foi construída em 1854, durante o governo de Zacarias de Góes e Vasconcelos, a Estrada da Graciosa liga Curitiba até Morretes e Antonina, no litoral do Estado, por meio do trecho mais preservado de mata atlântica do Brasil.

 

No passado, a Estrada da Graciosa era uma importante rota de escoamento da produção agrícola do Paraná para os portos de Paranaguá e Antonina. Essa antiga, sinuosa e belíssima rodovia (PR-410) sai a 37 km de Curitiba, da BR-116. O percurso é caracterizado pela beleza exuberante da Mata Atlântica durante a descida para o Litoral. Há diversos pontos de parada na rota, com sanitários, mirantes e quiosques que vendem diversos produtos típicos da região.

 

A ponte de ferro sobre o Rio Mãe Catira e o antigo traçado da antiga estrada, o famoso Caminho dos Jesuítas, são alguns dos pontos mais interessantes do percurso. Somente carros e vans são permitidos nesta rodovia.

 

A Estrada da Graciosa, é uma estrada pertencente ao governo do Paraná que utiliza a antiga rota dos tropeiros em direção ao litoral do Estado, interligando o município de Quatro Barras (Região Metropolitana de Curitiba) às cidades de Antonina e Morretes.

 

A estrada atravessa o trecho mais preservado de Mata Atlântica do Brasil, marcado pela mata tropical e pelos belos riachos que nascem na Serra do Mar. Por isso, em 1993, parte do trecho da Serra foi declarada pela UNESCO como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. Na região, existem dois importantes parques estaduais: o Parque Estadual da Graciosa e o Parque Estadual Roberto Ribas Lange.

 

História

 

Datam do início do século XVIII as primeiras notícias sobre a pioneira Trilha da Graciosa, que deu origem ao trajeto. As obras de construção da estrada foram concluídas em 1873, tendo sido iniciadas logo após a criação da Província do Paraná, por ordem do seu primeiro presidente, Zacarias de Góis Vasconcelos. Até a metade do século XX, a Estrada da Graciosa permaneceu como única estrada pavimentada do Estado, sendo importante rota de escoamento da produção agrícola (café, erva-mate e madeira) do Paraná rumo ao Porto de Paranaguá e ao Porto de Antonina.

 

Trechos da rodovia

 

Na localidade de São João da Graciosa, em Morretes, há uma bifurcação: a PR-411 conduz através da localidade de Porto de Cima até o centro de Morretes, enquanto a PR-410 segue em seu quarto trecho até um ponto distante 6 Km de Morretes, já na PR-408, que conduz à cidade de Antonina. Para quem se dirige a Morretes, a PR-411 é o trecho mais curto a partir de São João da Graciosa, enquanto a PR-410 é o caminho mais rápido para quem deseja ir à Antonina sem passar por Morretes.

 

Recantos

 

Ao longo da rodovia, são mantidos 7 recantos, contendo estruturas de lazer (churrasqueiras, sanitários, mirantes) que facilitam o acesso dos visitantes que querem conhecer as belezas da Serra do Mar paranaense:

 

  • Vista Lacerda

  • Rio Cascata

  • Grota Funda

  • Bela Vista

  • Curva da Ferradura

  • Mãe Catira

  • São João da Graciosa

Como Chegar

Publicidade

Mostrar Mais
  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter

Copyright 2015 Portal Antonina.com | Todos os direitos reservados