Dados Gerais

Antonina é um município brasileiro do estado do Paraná. Sua população estimada em 2010 era de 18.981 habitantes com uma área de 882 km quadrados. Está situada a 90 km de Curitiba, e a 55 km de Paranaguá.

 

A cidade surgiu devido à devoção a Nossa Senhora do Pilar. Eram duas irmãs que rezavam a Virgem do Pilar, o que fez com que o pequeno vilarejo se movimentasse e no dia 15 de agosto (como é até hoje), a cidade recebesse inúmeros fiéis que lotam a imponente Igreja Matriz construída em 1715 (Paróquia Nossa Senhora do Pilar da Graciosa).

 

Cidade histórica cujos primeiros vestígios da ocupação foram encontrados nos sambaquis. Posteriormete índios carijós habitaram o local sendo que os primeiros povoadores datam de 1648 e 1654. Além  da extraordinária beleza natural paisagística, Antonina possui no seu  calçamento de pedras e nas suas ruínas, histórias, as quais enriquecem o seu patrimônio. O município oferece ainda, diversos atrativos turísticos.

 

O porto Barão de Teffé, um dos mais importantes portos do início do século passado, está situado na cidade, junto com o terminal da ponta do Félix.

 

É uma cidade festiva, realizando o carnaval de rua mais animado do Paraná e o Festival de inverno da Universidade Federal do Paraná. Cidade histórica e turística que preserva um ambiente de manguezais da mata atlântica.

 

Foi fundada em 1714 e obteve autonomia municipal em 1797.

 

Etimologia

 

O nome de Antonina é uma homenagem prestada ao Príncipe da Beira Dom António de Portugal em 1797. Etimologicamente existem duas fontes: primeiro, do latim “antonius” que significa inestimável, segundo, do grego “antheos”, traduzido como flor.

 

Geografia

 

Situado na Mesorregião Metropolitana de Curitiba, o município limita-se ao norte e a oeste com Campina Grande do Sul, ao sul e a oeste com Morretes; e a leste com Paranaguá e Guaraqueçaba. A sede do município está localizada na posição geográfica de 25°25’44” S de latitude sul e 48°42’43” W de longitude oeste, estando a uma altitude de 5 metros. Possui uma área de 882 km² representando 0.4427 % do estado, 0.1566 % da região e 0.0104 % de todo o território brasileiro..

 

Geologicamente, os terrenos do município são de origem proterozóico-cambriana, arqueano-proterozóica, quaternária, holocênica, mesozóico-jurássico-cretácea e terciário-miocênica. Os tipos de solo existentes no município são gleissolo sálico, cambissolo háplico, argissolo vermelho-amarelo, latossolos vermelho-amareloe afloramentos de rocha. O relevo do município é montanhoso a oeste, forte e levemente ondulado ao norte e a leste e de planícies ao centro e ao sul com alguns morros espalhados pelo município. Na sede municipal registra-se a altitude de 5 metros. As altitudes médias do município oscilam entre 0 e 1.800 metros. Antonina está localizada entre a Baixada Paranaense e a Serra do Mar.

 

A localização da cidade de Antonina na orla atlântica apresenta um clima quente e úmido. Frio no período do inverno e agradável no verão. As temperaturas médias, observadas no ano de 1956, foram de 28ºC das máximas, 12°C das mínimas e 20°C a compensada. Os principais acidentes geográficos do município são: na parte orográfica — serras do Cabrestante, dos Órgãos, da Virgem Maria, da Graciosa e da Serrinha; potamográfico — rio Cachoeira, banhando as localidades de Catumbi, Limoeiro, Lagoinha, Cupiúva, Cupiuvinha, Turvo, Rio Pequeno, Cachoeira de Baixo e Cachoeira de Cima; rio do Cedro, banhando a localidade do Cedro; rio Cacatu, Lagoinha, Morro Grande Sambaqui, Rio do Meio Cacatu e Mergulhão; rio Curitibaíba, banhando as localidades de Curitibaíba, Faisqueira e Sambaqui; rio Faisqueira, banhando as localidades de Faisqueiras de Cima e de Baixo, Cedro e Camarão. Todos esses rios são navegáveis em pequenas extensões por lanchas movidas a gasolina. Existem no município as seguintes quedas d’água:

Na baía de Antonina destacam-se as ilhas das Rosas, do Lessa, do Quamiranga, do Goulart e do Corisco. Na localidade de Cedro, há dois morros que se destacam: O do Pico Torto e da Divisa, com as altitudes de 847 e 817 metros, respectivamente.

 

Na época do Descobrimento do Brasil, em 1500, o município era coberto por diversas formações vegetais pertencentes ao domínio da Floresta Ombrófila Densa tais como manguezais e terras baixas na orla da baía de Antonina e formações montanhosas ao norte e a oeste.

 

Como riquezas minerais se sobressaem, reflexo de grande valor econômico, malgrado ainda serem pouco desenvolvidas, as extrações de pedra, ferro, magnetita e talco. No campo vegetal – madeiras de lei. E no reino animal, lontra, porco-do-mato, jaguatirica, onça-pintada, capivara, tateto, cutia, etc. A pesca no município é praticada pelos pescadores das colônias ali existentes, porém não é muito desenvolvida.

* Hino do Município de Antonina

Letra: por Francisco Pereira da Silva

Melodia: por Bento Mossurunga

 

Salve terra formosa e querida
Que se estende na costa a sorrir
Terra calma onde achamos à vida
Sob a qual esperamos dormir

 

Salve terra de brisas ciciantes,
Doce gleba que nos viu nascer
Não te esqueças teus filhos distantes,
Esquecer-te é mais fácil morrer.

 

Estribilho

 

Antonina, Antonina,
Deitada a beira do mar
Sob a tutela divina
Da Senhora do Pilar

 

Antonina, cidade das flores,
De suave e finíssimo olor
Tens o brilho de mil esplendores
Para nós que te damos amor

 

Salve gleba fecunda cidade
Mais augusta por certo acharás
Deus te encha de felicidade
Para a glória do meu Paraná

 

Antonina, Antonina,
Deitada a beira do mar
Sob a tutela divina
Da Senhora do Pilar

A Cidade

A Cidade

Município de Antonina

Aniversário:   6 de novembro

 

Fundação:     12 de setembro de 1714

 

Emancipação: 6 de novembro de 1797

 

Gentílico: antoninense ou capelista

 

Localização

Bandeira

Brasão

Publicidade

Mostrar Mais
  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter

Copyright 2015 Portal Antonina.com | Todos os direitos reservados